quarta 8 abril 2020

 

A Redenção está no Senhor Nosso Salvador

 

 

Santo AfonsoA ORAÇÃO DE SANTO AFONSO MARIA DE LIGUORI PARA A COMUNHÃO ESPIRITUAL

 

 

 

               Não poder receber a Eucaristia não significa não poder se predispor a acolher Jesus com o coração. Na história da Igreja existe uma antiga práxis, confirmada em particular pelo Concílio de Trento, que o Papa Francisco recordou várias vezes durante este período de pandemia. É a Comunhão espiritual: com uma oração exprime-se o desejo ardente, já que não é possível receber a comunhão sacramental, de acolher Jesus Cristo pelo menos espiritualmente. Convidando à Comunhão espiritual, o Papa Francisco recita frequentemente esta oração de Santo Afonso Maria de Liguori durante a Missa na capela da Casa Santa Marta:

 

“Meu Jesus, eu creio que estais realmente presente no Santíssimo Sacramento do Altar. Amo-vos sobre todas as coisas, e minha alma suspira por Vós. Mas, como não posso receber-Vos agora no Santíssimo Sacramento, vinde, ao menos espiritualmente, a meu coração. Abraço-me convosco como se já estivésseis comigo: uno-me Convosco inteiramente. Ah! não permitais que torne a separar-me de Vós”.

Fonte: Amedeo Lomonaco, Silvonei José - Cidade do Vaticano, Rádio Vaticano, (02/04/2020). 

Damaia, 07 de Abril de 2020

********************

TERÇA FEIRA SANTA

Jesus anuncio da traiçao

 

Leituras para a reflexão familiar no tempo da quarentena:

1ª Leitura – Is 49,1-6

Sl 70

Evangelho – Jo 13,21-33.36-38 

 

 

Alguns versículos para a reflexão no contexto atual:

Farei de ti a luz das nações, para que a minha salvação chegue até aos confins da terra´” (Is 49,6);

Em Vós, Senhor, me refugio, jamais serei confundido (…) Sede para mim um refúgio seguro, a fortaleza da minha salvação” (Sl 70,1.3);

 “Salve, Senhor, nosso Rei, obediente ao Pai, que fostes levado como manso cordeiro à morte na cruz” (Aclamação ao Evangelho);

Jesus sentiu-se intimamente perturbado e declarou: ´em verdade, em verdade vos digo: um de vós Me entregará´” (Jo 13,21)

 “Agora é que se revela a glória do Filho do Homem e assim se revela nela a glória de Deus. E se Deus revela nele a sua glória, também o próprio Deus revelará a glória do Filho do Homem, e há-de revela-la muito em breve” (Jo 13,31-32).

Senhor, eu darei a minha vida por Ti” (Jo 13,37);

Darias a minha vida por mim? Em verdade, em verdade te digo: não cantará o galo, antes de me teres negado três vezes” (Jo 13,38).

O que estas leituras têm a ver com a minha vida cristã? De que maneira elas iluminam a minha quarentena e a quarentena da minha família? Em quem está ancorada a nossa esperança? Que lições vamos tirar para a nossa vida desta Semana Santa e desta situação pela qual passamos? Somos capazes de perceber a glória de Deus que se manifesta neste tempo sombrio de pandemia?

Com a bênção, 

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR

Damaia, 07 de Abril de 2020

Foto: Internet

*********** 

COMUNICAÇÕES PAROQUIAIS

Domingo de Ramos

05 de Abril de 2020

Caríssimos Paroquianos,

Papa FranciscoIniciamos esta Semana Santa de modo que jamais imaginamos que pudesse acontecer. As celebrações desta Semana Maior com a participação do povo de Deus nas igrejas, também foram suspensas.

 

 

Contudo, como já foi dito, não ficou suspensa a oração e a celebração da memória do Senhor em nossas casas e em nossas famílias. Somos convidados a permanecer em oração pessoal e familiar, biblicamente alimentada. O que se espera, qua cada dia desta Semana Santa seja vivido com fé na presença do Senhor em cada família e em cada lar.

Apesar dos limites da quarentena e de ausência física nas igrejas, as nossas orações familiares poderão ser complementadas com as possíveis ofertas celebrativas na televisão, rádio e internet, inclusive pelo recém criado canal paroquial do YouTube. Assim, nesta semana serão transmitidas: A Missa do Domingo de Ramos, às 12h; a Missa na Ceia do Senhor, na 5ª Feira Santa, às 19h; A Paixão do Senhor e as Sete Palavras de Jesus na Cruz, na 6ª Feira Santa, às 15h e às 19h, respetivamente; a Vigília Pascal, às 21h30; e a Missa da Páscoa, no Domingo da Ressurreição, às 12h. As celebrações serão realizadas só pela Equipa de celebração, infelizmente, sem a participação dos fiéis.

Lembre-se, que a Sexta Feira Santa é um dia de jejum e abstinência

Queremos comunicar também que as intenções já encomendadas ou aquelas que poderão ser encomendadas serão celebradas pelo Pároco no dia indicado, contudo, sem a participação dos fiéis.

As celebrações de Exéquias, serão presididas pelo Pároco, ou pelos Diáconos e pelo Fr. Alisson.

Durante a Semana Santa não haverá serviços da Secretaria Paroquial. Nas situações de urgência, por favor, procurar o Pároco.

Contudo, a nossa igreja permanecerá aberta para a oração individual, no horário habitual, levando em consideração as determinações do Decreto do Estado de Emergência.

Em Cristo Redentor,

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR – O Pároco

Damaia, 05 de abril de 2020

***************************

RamosCELEBRAÇÕES DA SEMANA SANTA 2020

DOMINGO DE RAMOS

(05/04/2020)

 

Hosana ao Filho de David. Bendito o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel. Hosana nas alturas”. (Mt 21,9)

 

12h – Bênção de Ramos e Santa Missa com a bênção do Santíssimo Sacramento,

transmitida através do canal do YouTube diretamente da Igreja do Santíssimo Redentor na Damaia

https://www.youtube.com/channel/UCBZSRSq_OsnUuouUN5OvxZg

Prepare o seu ramo para ser abençoado e fixado na porta, ou colocado num vaso.

Leituras para a reflexão familiar:

Memória da entrada: Mt 21,1-11

1ª Leitura – Is 50,4-7

Sl 21

2ª Leitura – Filip 2,6-11

Evangelho – Mt 27,11-54 

 Alguns versículos para a reflexão no contexto atual:

Dizei à filha de Sião: ´Eis o teu Rei, que vem ao teu encontro´” (Mt 21,5);

O Senhor deu-me a graça de falar como discípulo, para que saiba dizer uma palavra de alento aos que andam abatidos(Is 50,4);

 “Mas, Tu, SENHOR, não te afastes de mim! És o meu auxílio: vem socorrer-me depressa!” (Sl 21, 20);

Por isso mesmo é que Deus o elevou e lhe concedeu o nome que está acima  de todo o nome, para que, ao nome de Jesus se dobrem todos os joelhos, os dos seres que estão no céu, na terra e debaixo da terra; e toda língua proclame: ´Jesus Cristo é o Senhor!´ para glória de Deus Pai” (Filip 2, 9-10);

Tu, que destruías o templo e o reedificavas em três dias, salva-te a ti mesmo! Se és Filho de Deus, desce da cruz!” (Mt 27,40);

“E Jesus, clamando outra vez com voz forte, expirou” (Mt 27,50);

“O centurião e os que com ele guardavam Jesus, vendo o tremor de terra o que estava a acontecer, ficaram apavorados e disseram: ´Este era verdadeiramente o Filho de Deus” (Mt 27,54);  

Desejamos a todos os Paroquianos uma abençoada Semana Santa, tão diferente de outras já celebradas. Que esta experiência, de jejum, de abandono, de reflaxão, de orações na família, de impossibilidade de participar das celebrações na igreja, de uma igreja vazia, de saudade, de distanciamento físico e do silêncio no templo fortaleca mais ainda a nossa fé e reforçe o desejo de mais fervorosa pertença à familia paroquial. 

Com a bênção, 

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR

Damaia, 04 de Abril de 2020

******************************

RamosPROGRAMAÇÃO DA SEMANA SANTA 2020

Com transmissões no YouTube diretamente da Igreja do Santíssimo Redentor na Damaia

(somente com a participação da Equipa de celebração)

 

 

Domingo de Ramos (05/04/2020)

12h – Bênção de Ramos e Santa Missa com a bênção do Santíssimo Sacramento

Quinta Feira Santa (09/04/2020)

19h – Santa Missa - Adoração e a Bênção do Santíssimo Sacramento

Sexta Feira Santa  (10/04/2020)

15h - Celebração do Paixão do Senhor:

         Evangelho da Paixão - Adoração da Cruz - Prece Universal 

19h – As Sete Palavras de Jesus na Cruz

Sábado Santo (11/04/2020)

21h30 - Vigília Pascal:

Preparação do Círio - Bênção das velas - Precónio Pascal - Liturgia da Palavra - Aleluia - Bênção da àgua e renovação do Baptismo - Eucaristia - Solene Bênção Pascal. 

Domingo da Páscoa  (12/04/2020)

12h – Santa Missa com a Bênção do Santíssimo Sacramento

 

***

Requiem aeternam dona ei, Domine

Ramiro Pe2jpgPadre Ramiro Ferreira dos Santos, CSsR, nascido 05/07/1934, foi chamado pelo Senhor da vida para a vida plena, no dia 01/04/2020. Damos graças ao Senhor pela sua vida e pelo seu ministério.

 

“Levem-te os Anjos ao Paraíso, à tua chegada recebem-te os Mártires, Santos e Beatos Redentoristas, e te conduzam à cidade santa de Jerusalém”. (Antífona)

Missionários Redentoristas 

*******************

MENSAGENS DE ESPERANÇA NO TEMPO SOMBRIO DA PANDEMIA

 

LÁGRIMAS DE DEUS NA PRAÇA SÃO PEDRO

27 de Março de 2020

https://www.youtube.com/watch?v=kw1XyGYQYmc

*******

SEGURA NA MÃO DE DEUS

Canção cantada na Catedral da Sagrada Família em Barcelona, tão atual para os dias de hoje. Assista e ore.

https://www.youtube.com/watch?v=6PBiKBPs2b4

Se as águas do mar da vida quiserem te afogar,

Segura na mão de Deus e vai.

Se as tristezas desta vida quiserem te sufocar,

Segura na mão de Deus e vai.

Segura na mão de Deus, segura na mão de Deus

 Pois ela, ela te sustentará,

Não temas, segue adiante e não olhes para trás.

Segura na mão de Deus e vai.

Se a jornada é pesada e te cansas da caminhada,

Segura na mão de Deus e vai.

Orando, jejuando, confiando e confessando,

Segura na mão de Deus e vai.

O Espírito do Senhor sempre te revestirá,

Segura na mão de Deus e vai.

Jesus Cristo prometeu que jamais te deixará,

Segura na mão de Deus e vai.

****

MAS A PRIMAVERA NÃO SABIA  

https://www.facebook.com/prof.leandrokarnal/videos/2494983597484368/

Abraço e bênção

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR 

Damaia, 01 de Abril de 2020

************

Cirio2 2

O Círio que arde orente 

"Ainda que passe por vales tenebrosos, nada temo, porque Vós estais comigo" (Sl 22,4)

 

                  Caríssimos Paroquianos,

 

Permaneçamos em oração confiante como o Círio  aceso todos os dias em nossa igreja. Paz e saúde a todos vós. 

Abraço e bênção

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR 

Damaia, 30 de março de 2020

 ***************************

5º Domingo da Quaresma

Espera pelo SENHOR; porque nele há misericórdia e com Ele é abundante a redenção” (Sl 129,7)

Ressurreiçao de Lazaro

 

Leituras para a reflexão familiar:

Ez 37,12-14;

Sl 129;

Rom 8,8-11;

Jo 11,1-45

 

 Alguns versículos para a reflexão no contexto atual:

“Vou abrir os vossos túmulos e deles vos farei ressuscitar, ó meu povo… Infundirei em vós o meu espírito e revivereis” (Ez 37,12.14)

Do profundo abismo chamo por Vós, Senhor; Senhor, escutai a minha voz” (Sl 129,1).

Eu confio no Senhor, (…). Porque no Senhor está a misericórdia e com Ele abundante redenção” (Sl 129,7).

Se Cristo está em vós, embora o vosso corpo seja mortal por causa do pecado, o espírito permanece vivo por causa da justiça” (Rom 8,10).

Esta doença não é mortal, mas é para a glória de Deus, para que por ela seja glorificado o Filho do homem” (Jo 11,4).

Eu sou a ressurreição e a vida” (Jo 11,25).

“Acredito, Senhor, que Tu és o Messias, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo” (Jo 11,27).

Jesus “bradou com voz forte >Lázaro, sai para fora<” (Jo 11,43).

 

Abra e leia também a reflexão para este 5º Domingo da Quaresma proposta pelo último número do Apelo do Redentor (bem ao lado).

Com a bênção, 

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR

Damaia, 29 de Março de 2020

****************************************

Homilia

V Domingo da Quaresma – Ano A

Diac Joao

 

 

      Diác. João Sala Pagou

 

 

 

As leituras deste 5º Domingo da Quaresma servem como contributo fundamental para a grande questão que desde sempre se colocou na mente do homem e que hoje, na conjuntura atual da pandemia que vivemos, se volta a colocar:

- Se Deus ama o Homem, então, como pode permitir o seu sofrimento?

Também ao longo dos tempos, o Povo de Deus sofreu várias provações que colocaram a dúvida no coração dos israelitas; seja o Exilio na Babilónia, sejam as sucessivas ocupações de Jerusalém, a destruição do templo, etc.

E em todos esses momentos o Povo Eleito também se interrogou:

- Se o povo de Israel é o Povo escolhido por Deus, como pode Ele permitir que estas coisas aconteçam ao seu povo?

No texto da Profecia de Ezequiel, Deus promete ao povo derrotado e cativo num país estrangeiro, o regresso à sua terra restaurando a esperança dos exilados num futuro de felicidade e de paz… Mas Deus vai fazer ainda mais: promete derramar o seu Espírito sobre o Povo condenado à morte e insuflar-lhe esta vida divina que transforma completamente os homens, fazendo com que os corações de pedra – duros, insensíveis, autossuficientes – se transformem em corações de carne, sensíveis e bons, capazes de amar Deus e os irmãos. Esta nova criação vai, portanto, muito mais longe do que a antiga criação.
Então, com um coração de carne capaz de compreender o amor, o Povo reconhecerá a bondade de Deus, a sua fidelidade à Aliança e às promessas que fez ao seu Povo.

A questão mais significativa é que, apesar das aparências, Deus não abandona o seu Povo à morte. Mesmo quando tudo parece perdido e sem saída, Deus lá está, transformando o desespero em esperança, a morte em vida. Jahwéh é o Deus da vida, que encontra sempre formas de transmitir vida ao seu Povo. Em cada instante da história Ele está presente, recriando o seu Povo, transformando-o, renovando-o, encaminhando-o para a vida plena.

Da mesma forma, o Evangelho partilha connosco uma catequese de João que pretende continuar na mesma linha. Numa família que já tinha perdido a esperança na cura do seu irmão Lázaro, sepultado há 4 dias, (para os judeus a morte era considerada definitiva após o 4º dia), Jesus vem e ressuscita-o! Dá-lhe a vida!

E em que medida esta nova vida está relacionada com a esperança farisaica da ressurreição no final dos tempos?

Não tem nada a ver!

Os seus amigos, os amigos de Jesus, não regressarão da morte para a MESMA vida.

O que Ele diz é que, para quem é Seu amigo, nem sequer há morte. Para os seus amigos, a morte física é apenas a PASSAGEM desta vida para a vida plena. Jesus não evita a morte física; mas Ele oferece ao homem essa vida que se prolonga para sempre. Jesus é “a ressurreição e a vida”. Para que essa vida definitiva possa chegar ao homem é necessário, no entanto, que o homem adira a Jesus e O siga, num caminho de amor e de dom da vida (“todo aquele que vive e acredita em mim, nunca morrerá” Evangelho de João que escutámos hoje

Tal como cada um de nós, confrontado com a passagem de um ente querido para a “outra vida”, Jesus também chorou manifestando a saudade do amigo ausente. Ele – como nós – sente a dor, diante da morte física de uma pessoa amada; mas a sua dor não é desespero.
A dor, a tristeza pela partida de alguém, são sentimentos naturais, humanos, no entanto, a nossa fé convida-nos a ter a certeza de que aqueles que amamos não são aniquilados: apenas encontraram essa vida definitiva, longe da debilidade e da finitude humanas mas mais perto do amor de Deus.

Também hoje, no meio da maior crise epidémica pela qual a nossa geração atravessa, muitos de nós se perguntarão porque permite Deus uma coisa assim e será que Ele se afastou de nós?

Como diz S. Paulo na 2ª leitura, ao acolhermos a Fé através do batismo tornamo-nos homens novos e permitimos que o Espírito nos modifique.

Mas essa Fé não afasta de nós a morte física, pois e algo de natural e que chegará a todos, e não afasta nem a doença nem os infortúnios. Mas o que a Fé e a confiança no nosso Deus provocam em nós, é a certeza de que o homem foi talhado para a eternidade. É a certeza de que nós, como criação de Deus, estamos numa 1ª fase da nossa existência.

Nós os crentes, sabemos que, apesar do sofrimento que faz parte da condição de fragilidade em que vivemos, Deus está presente na história humana, criando vida e oferecendo a esperança aos homens nesses mil e um gestos de bondade, de ternura e de amor que acontecem a cada instante.

Nestes momentos difíceis que a humanidade atravessa, saibamos olhar para a provação e transformar esta crise numa oportunidade. Oportunidade para reconhecermos Cristo nos nossos irmãos que diariamente cuidam dos nossos doentes e idosos, tudo dando para a cura dos seus corpos; Oportunidade para revermos o rosto de Cristo em todos aqueles que continuam a trabalhar em prol da sociedade humana, zelando pelas nossas necessidades. E oportunidade também para lhe agradecermos todos os seus sacrifícios!

Aproveitemos a oportunidade para incrementarmos a nossa igreja doméstica, redescobrindo a oração familiar e a disponibilidade para viver com o outro e respeitar a sua individualidade.

Esse é também o objetivo da Quaresma: através da oração e da conversão do nosso coração, vamos criando a oportunidade para que o Homem Novo ressuscite em nós no mais belo domingo do ano, o DOMINGO DE PÁSCOA

Sim, são momentos difíceis, mas com a certeza da permanência de Deus junto de nós transformaremos estes tempos críticos em ocasião de esperança na humanidade transformada pelo Amor de Deus.

Como nos recordava o Papa Francisco, referindo-se à passagem do Evangelho de Marcos, quem tem Fé, não há de ter medo

Que assim seja!

Diac. João Sala Pagou

29 de março de 2020

*****************************************************

************************************

Praça S Pedro 27 MAR 2020MENTO EXTRAORDINÁRIO DE ORAÇÃO
EM TEMPO DE EPIDEMIA

PRESIDIDO PELO PAPA FRANCISCO

Adro da Basílica de São Pedro 
Sexta-feira
, 27 de março de 2022


«Ao entardecer…» (Mc 4, 35): assim começa o Evangelho, que ouvimos. Desde há semanas que parece o entardecer, parece cair a noite. Densas trevas cobriram as nossas praças, ruas e cidades; apoderaram-se das nossas vidas, enchendo tudo dum silêncio ensurdecedor e um vazio desolador, que paralisa tudo à sua passagem: pressente-se no ar, nota-se nos gestos, dizem-no os olhares. Revemo-nos temerosos e perdidos. À semelhança dos discípulos do Evangelho, fomos surpreendidos por uma tempestade inesperada e furibunda. Demo-nos conta de estar no mesmo barco, todos frágeis e desorientados mas ao mesmo tempo importantes e necessários: todos chamados a remar juntos, todos carecidos de mútuo encorajamento. E, neste barco, estamos todos. Tal como os discípulos que, falando a uma só voz, dizem angustiados «vamos perecer» (cf. 4, 38), assim também nós nos apercebemos de que não podemos continuar estrada cada qual por conta própria, mas só o conseguiremos juntos.

Rever-nos nesta narrativa, é fácil; difícil é entender o comportamento de Jesus. Enquanto os discípulos naturalmente se sentem alarmados e desesperados, Ele está na popa, na parte do barco que se afunda primeiro... E que faz? Não obstante a tempestade, dorme tranquilamente, confiado no Pai (é a única vez no Evangelho que vemos Jesus a dormir). Acordam-No; mas, depois de acalmar o vento e as águas, Ele volta-Se para os discípulos em tom de censura: «Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?» (4, 40).

Procuremos compreender. Em que consiste esta falta de fé dos discípulos, que se contrapõe à confiança de Jesus? Não é que deixaram de crer N’Ele, pois invocam-No; mas vejamos como O invocam: «Mestre, não Te importas que pereçamos?» (4, 38) Não Te importas: pensam que Jesus Se tenha desinteressado deles, não cuide deles. Entre nós, nas nossas famílias, uma das coisas que mais dói é ouvirmos dizer: «Não te importas de mim». É uma frase que fere e desencadeia turbulência no coração. Terá abalado também Jesus, pois não há ninguém que se importe mais de nós do que Ele. De facto, uma vez invocado, salva os seus discípulos desalentados.

A tempestade desmascara a nossa vulnerabilidade e deixa a descoberto as falsas e supérfluas seguranças com que construímos os nossos programas, os nossos projetos, os nossos hábitos e prioridades. Mostra-nos como deixamos adormecido e abandonado aquilo que nutre, sustenta e dá força à nossa vida e à nossa comunidade. A tempestade põe a descoberto todos os propósitos de «empacotar» e esquecer o que alimentou a alma dos nossos povos; todas as tentativas de anestesiar com hábitos aparentemente «salvadores», incapazes de fazer apelo às nossas raízes e evocar a memória dos nossos idosos, privando-nos assim da imunidade necessária para enfrentar as adversidades.

Com a tempestade, caiu a maquilhagem dos estereótipos com que mascaramos o nosso «eu» sempre preocupado com a própria imagem; e ficou a descoberto, uma vez mais, aquela (abençoada) pertença comum a que não nos podemos subtrair: a pertença como irmãos.

«Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?» Nesta tarde, Senhor, a tua Palavra atinge e toca-nos a todos. Neste nosso mundo, que Tu amas mais do que nós, avançamos a toda velocidade, sentindo-nos em tudo fortes e capazes. Na nossa avidez de lucro, deixamo-nos absorver pelas coisas e transtornar pela pressa. Não nos detivemos perante os teus apelos, não despertamos face a guerras e injustiças planetárias, não ouvimos o grito dos pobres e do nosso planeta gravemente enfermo. Avançamos, destemidos, pensando que continuaríamos sempre saudáveis num mundo doente. Agora nós, sentindo-nos em mar agitado, imploramos-Te: «Acorda, Senhor!»

«Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?» Senhor, lanças-nos um apelo, um apelo à fé. Esta não é tanto acreditar que Tu existes, como sobretudo vir a Ti e fiar-se de Ti. Nesta Quaresma, ressoa o teu apelo urgente: «Convertei-vos…». «Convertei-Vos a Mim de todo o vosso coração» (Jl 2, 12). Chamas-nos a aproveitar este tempo de prova como um tempo de decisão. Não é o tempo do teu juízo, mas do nosso juízo: o tempo de decidir o que conta e o que passa, de separar o que é necessário daquilo que não o é. É o tempo de reajustar a rota da vida rumo a Ti, Senhor, e aos outros. E podemos ver tantos companheiros de viagem exemplares, que, no medo, reagiram oferecendo a própria vida. É a força operante do Espírito derramada e plasmada em entregas corajosas e generosas. É a vida do Espírito, capaz de resgatar, valorizar e mostrar como as nossas vidas são tecidas e sustentadas por pessoas comuns (habitualmente esquecidas), que não aparecem nas manchetes dos jornais e revistas, nem nas grandes passarelas do último espetáculo, mas que hoje estão, sem dúvida, a escrever os acontecimentos decisivos da nossa história: médicos, enfermeiros e enfermeiras, trabalhadores dos supermercados, pessoal da limpeza, curadores, transportadores, forças policiais, voluntários, sacerdotes, religiosas e muitos – mas muitos – outros que compreenderam que ninguém se salva sozinho. Perante o sofrimento, onde se mede o verdadeiro desenvolvimento dos nossos povos, descobrimos e experimentamos a oração sacerdotal de Jesus: «Que todos sejam um só» (Jo 17, 21). Quantas pessoas dia a dia exercitam a paciência e infundem esperança, tendo a peito não semear pânico, mas corresponsabilidade! Quantos pais, mães, avôs e avós, professores mostram às nossas crianças, com pequenos gestos do dia a dia, como enfrentar e atravessar uma crise, readaptando hábitos, levantando o olhar e estimulando a oração! Quantas pessoas rezam, se imolam e intercedem pelo bem de todos! A oração e o serviço silencioso: são as nossas armas vencedoras.

«Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?» O início da fé é reconhecer-se necessitado de salvação. Não somos autossuficientes, sozinhos afundamos: precisamos do Senhor como os antigos navegadores, das estrelas. Convidemos Jesus a subir para o barco da nossa vida. Confiemos-Lhe os nossos medos, para que Ele os vença. Com Ele a bordo, experimentaremos – como os discípulos – que não há naufrágio. Porque esta é a força de Deus: fazer resultar em bem tudo o que nos acontece, mesmo as coisas ruins. Ele serena as nossas tempestades, porque, com Deus, a vida não morre jamais.

O Senhor interpela-nos e, no meio da nossa tempestade, convida-nos a despertar e ativar a solidariedade e a esperança, capazes de dar solidez, apoio e significado a estas horas em que tudo parece naufragar. O Senhor desperta, para acordar e reanimar a nossa fé pascal. Temos uma âncora: na sua cruz, fomos salvos. Temos um leme: na sua cruz, fomos resgatados. Temos uma esperança: na sua cruz, fomos curados e abraçados, para que nada e ninguém nos separe do seu amor redentor. No meio deste isolamento que nos faz padecer a limitação de afetos e encontros e experimentar a falta de tantas coisas, ouçamos mais uma vez o anúncio que nos salva: Ele ressuscitou e vive ao nosso lado. Da sua cruz, o Senhor desafia-nos a encontrar a vida que nos espera, a olhar para aqueles que nos reclamam, a reforçar, reconhecer e incentivar a graça que mora em nós. Não apaguemos a mecha que ainda fumega (cf. Is 42, 3), que nunca adoece, e deixemos que reacenda a esperança.

Abraçar a sua cruz significa encontrar a coragem de abraçar todas as contrariedades da hora atual, abandonando por um momento a nossa ânsia de omnipotência e possessão, para dar espaço à criatividade que só o Espírito é capaz de suscitar. Significa encontrar a coragem de abrir espaços onde todos possam sentir-se chamados e permitir novas formas de hospitalidade, de fraternidade e de solidariedade. Na sua cruz, fomos salvos para acolher a esperança e deixar que seja ela a fortalecer e sustentar todas as medidas e estradas que nos possam ajudar a salvaguardar-nos e a salvaguardar. Abraçar o Senhor, para abraçar a esperança. Aqui está a força da fé, que liberta do medo e dá esperança.

«Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?» Queridos irmãos e irmãs, deste lugar que atesta a fé rochosa de Pedro, gostaria nesta tarde de vos confiar a todos ao Senhor, pela intercessão de Nossa Senhora, saúde do seu povo, estrela do mar em tempestade. Desta colunata que abraça Roma e o mundo desça sobre vós, como um abraço consolador, a bênção de Deus. Senhor, abençoa o mundo, dá saúde aos corpos e conforto aos corações! Pedes-nos para não ter medo; a nossa fé, porém, é fraca e sentimo-nos temerosos. Mas Tu, Senhor, não nos deixes à mercê da tempestade. Continua a repetir-nos: «Não tenhais medo!» (Mt 14, 27). E nós, juntamente com Pedro, «confiamos-Te todas as nossas preocupações, porque Tu tens cuidado de nós» (cf. 1 Ped 5, 7).

 

Caros leitores e Paroquianos

Vejam tambem: 

https://youtu.be/mnzTIGpYxdA

http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/events/event.dir.html/content/vaticanevents/pt/2020/3/27/uniti-in-preghiera.html

O Senhor abençoes a todos

Pe. Cristóvão Dworak, CssR

********************************

 VAI FICAR TUDO BEM!

arco irisCaros Amigos,

Vai ficar tudo bem. É a frase nascida na boca dos nossos irmãos italianos, e que temos escutado nestes últimos dias, relativamente à esperança que inunda os nossos corações, quanto à epidemia que nos tem assolado e que continuará a assolar.

Neste passado sábado, já em isolamento social, em casa com a família, assisti a um fantástico arco-íris que se estendia pelo horizonte visível da minha janela. E essa vista, de imediato, me levou para aquele relato bíblico em que Deus, após assolar o mundo com um dilúvio destruidor, mas por amar tanto o Homem, a sua criação, estabelece uma aliança com Noé e torna o arco-íris um sinal que lhe recorda esse amor e essa aliança.

A nossa confiança no nosso Deus dá-nos garantias que “Vai ficar tudo bem”.

Mas, entretanto, gostaria de partilhar também convosco, a oportunidade que esta provação e este isolamento proporcionam às nossas famílias paroquiais:

Os tempos modernos obrigam-nos a todos a uma correria constante; temos sempre algo para fazer e, aquilo que temos para fazer é sempre fundamental e não pode esperar. É tão importante, que às vezes se sobrepõe ao tempo que deveríamos disponibilizar para a nossa própria família.

E incluo aqui também o tempo para rezarmos em conjunto, como família, a célula fulcral do cristianismo.

O que é facto é que o isolamento social provocado por esta pandemia criou uma oportunidade única para as nossas famílias. Temos agora tempo para estarmos juntos, para partilharmos dias inteiros, para voltarmos a falar uns com os outros e também, para de novo, rezarmos juntos.

Foi comovente sentir as famílias reunidas à volta dos computadores e, conjuntamente com outras famílias, afastadas fisicamente, mas reunidas pela oração, responderem afirmativamente ao desafio do Santo Padre e rezarem o terço pelo Fim da Pandemia. É importantíssimo sentir que às 18h deste domingo, 150 famílias em outras tantas casas, estavam a participar numa celebração eucarística transmitida via internet. Acredito também que as transmissões televisivas matinais se tenham finalmente tornado em programas de elevada audiência em qualquer um dos canais generalistas nacional.

Pois que possamos criar oportunidade neste momento difícil, para vivermos uma quaresma, se calhar, como nunca vivemos. Uma quaresma onde verdadeiramente me encontro a mim próprio e vou ao encontro do outro que, literalmente, vive ao meu lado.

Que esta oportunidade que nos é dada, sirva para nos fortalecer. Que quando a normalidade for restaurada possamos ter feito uma caminhada quaresmal enriquecedora, que tenhamos restabelecido laços com os que amamos e que possamos celebrar a Verdadeira Páscoa da ressurreição onde, à imagem de Cristo, possamos também dar vida ao nosso homem novo.

UMA BOA QUARESMA PARA TODOS

Diácono João Sala Pagou

25 de março 2020

 

*************************

NSPS2

 

 

NOVENA À NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO NA SOLENIDADE DA ANUNCIAÇÃO DO SENHOR 

25/03/2020

 

 

INVOCAÇÃO

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Amém.

A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo setejam connosco.

Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

De coração contrito e humilde, coloquemo-mos na presença de Deus justo e santo, para que tenha piedade de nós, pecadores.

Tende compaixão de nós, Senhor.

Porque somos pecadores

Menifestai, Senhor, a vossa misericórdia.

E dai-nos a vossa salvação.

Deus, fiel e justo, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Amém.

OFERECIMENTO

Ó Mãe do Perpétuo Socorro, impedidos de participar desta novena na nossa igreja paroquial, nós nos reunimos hoje, em família, para agradecer todas as graças que temos recebido por vossa intercessão.

E queremos pedir também, por toda a Igreja

e pelo mundo flagelado pelo Coronavírus,

pelos médicos e profissionais de saúde,

pelas famílias em quarentena,

pela paz no mundo,

pelos pobres e abandonados,

pelos injustiçados e oprimidos,

pelos doentes e aflitos,

pelos agonizantes e almas do purgatório

e pelas nossas intenções particulares.

 Cântico

Nós te cantamos e aclamamos, Maria. Nós te louvamos e bendizemos, Maria.

 Mãe de Jesus, Mãe da Igreja, Porta do Céu, nossa esp’rança.

 Causa da nossa alegria, Glória do povo de Deus.

ORAÇÃO

Deus, Pai Santo, que na vossa benigna providência quisestes que o vosso Verbo assumisse verdadeira carne humana no seio da Virgem Maria, concedei-nos que, celebrando o nosso Redentor como verdadeiro Deus e verdadeiro homem, mereçamos também participar da sua natureza divina. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Flho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

MEDITAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS

        Leituras: Is 7,10-14;8,10; Sl. 39; Hebr 10,4-16; Lc 1,26-38.

INVOCAÇÃO À NOSSA SENHORA 

Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, a quem invocamos com título de Pérpétuo Socorro, escuta a nossa oração:

Ó Mãe do Perpétuo Socorro, diante de tua santa imagem,venho, hoje, com a muita confiança, suplicar o teu socorro. Não confio nos meus méritos nem nas minhas boas obras, mas nos méritos infinitos de Jesus, nosso Senhor, e no teu incomparável amor materno.

Tu olhastes, ó Mãe, as chagas do Redentor e o sangue por Ele derramado na cruz para nossa salvação. O teu Filho, morrendo, deu-nos a ti por Mãe. Será que não és para nós,

como declara o teu doce nome, Perpétuo Socorro?

A ti, suplico, pois, ó Mãe do Perpétuo Socorro, com grande confiança, que pela dolorosa Paixão e Morte do teu Divino Filho e pelos incontáveis sofrimentos do teu coração, ó co-Redentora, alcances, junto do teu Filho Jesus Cristo, esta graça que tanto desejo e de que tanto preciso.

(pedir a graça em silêncio)

Tu sabes, ó Mãe bendita, como o nosso Redentor desejou, ardentemente, dar-nos todas as graças da redenção.  Tu sabes que estes tesouros foram depositados nas tuas mãos para que os distribuas entre nós.

Alcança, pois, ó minha Mãe, do Sagrado Coração de Jesus, esta graça que, humildemente, te suplico e com alegria proclamarei a tua misericórdia por toda eternidade. Amém.

Foste-nos dada como refúgio, Senhora!

Como auxilio perpétuo na tribunação.

 Cântico

Ó Virgem Maria, Rainha de amor, tu és a Mãe Santa do Cristo Senhor.

Perpéctuo Socorro, tu és Mãe querida. Teus filhos suplicam, socorro na vida.

Nas dores e angústias, nas lutas da vida, tu és a Mãe nossa, por Deus concedida.

SÚPLICA

Por intercessão de Maria, Nossa Senhora do Perpetuo Socorro apresentemos a Deus Pai as nossas súplicas, rezando com confiança a oração para pedir ajuda, conforto e salvação:  

Deus Pai, Criador do mundo,
omnipotente e misericordioso,
que por nosso amor
enviaste o teu Filho ao mundo
como médico dos corpos e das almas,
olha para os teus filhos

que neste momento difícil
de desorientação e consternação
em muitas regiões da Europa e do mundo
se voltam para Ti
em busca de força, salvação e alívio.

Livra-nos da doença e do medo,
cura os nossos doentes,
conforta os seus familiares,
dá sabedoria aos nossos governantes,
energia e recompensa aos médicos,
enfermeiros e voluntários,
vida eterna aos defuntos.
Não nos abandones
neste momento de provação,
mas livra-nos de todo o mal.


Tudo isto Te pedimos, ó Pai
que, com o Filho e o Espírito Santo,
vives e reinas pelos séculos dos séculos.
Ámen.

Santa Maria, Mãe da saúde e da esperança, roga por nós!

AVE MARIA, cheia de graça ….

 

BÊNÇÃO DA SAÚDE

Imploremos, ao Senhor Jesus, que passou por este mundo fazendo bem e curando a todos, que nos conceda a benção da saúde.

Senhor Jesus Cristo, Santísismo Redentor da humanidade, uni à vossa gloriosa Paixão, Morte e Ressurreição os sofrimentos e as dores de todos os que estão doentes e especialmente aqueles atingidos pelo vírus.

Fazei que compreendam, Senhor, que não estão sozinhos nem são inúteis, mas estão crucificados Convosco para a salvação do mundo.

Senhor, que curastes tantos doentes, se for da vontade do Pai, restituí a saúde aos irmãos e irmãs que padecem e iluminai os médicos e todos os que se dedicam aos enfermos, para que descubram os recursos adequados ao seu tratamento.

Senhor, tende piedade de nossos doentes!

Olhai com bondade especialmente para as pessoas mais idosas.

Que sejam amparadas pela nossa caridade fraterna!

Pedimos também pelos que estão em perigo de vida, ou que, nestes dias, deverão passar deste mundo para a eternidade.

Que a vossa presença, amiga e certa, alcance para eles perdão, esperança e salvação.

Deus nosso Pai, por intercessão de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e de todos os mártires, santos e beatos redentoristas, de São Lucas e de Santos Cosme e Damião, fazei descer sobre todos os doentes, e especalmente sobre todos os infectados pelo Coronavírus a Vossa bênção salvadora.

Amém.

 Cântico

Socorrei-nos, ó Maria, noite e dia, sem cessar!

Os doentes e os aflitos vinde, todos consolar!

 Vosso olhar a nós volvei, vossos filhos protegei!

Ó Maria, ó Maria, vossos filhos socorrei!

 Dai saúde ao corpo enfermo, dai coragem na aflição!

Sede a nossa doce estrela a brilhar na escuridão!

BÊNÇÃO FINAL

O Senhor esteja connosco.

Ele está no meio de nós.

Deus de bondade, que pelo Filho da Virgem Maria quer salvar a todos, nos enriqueça com Sua bênção. Amém.

Seja-nos dado sentir sempre e por toda parte, a proteção da Virgem por quem recebemos O autor da vida. Amém.

E a nós, que vos reunimos hoje, em nossa família para celebrar esta novena, possamos ser preservados de todo o mal. Amém.

Abençoe-nos Deus todo poderoso, Pai e Filho + e Espírito Santo. Amém.

Cântico

Ó minha Senhora e também minha Mãe,

eu me ofereço inteiramente todo a vós

e, em prova da minha devoção, eu hoje vos dou o meu coração.

Consagro a vós meus olhos,

meus ouvidos, minha boca,

tudo o que sou desejo que a vós pertença,

incomparávelmente Mãe,

guardai-me e defendei-me

como filho consagrado vosso. Amém.

****************************

D Manuel ClementeCarta do D. Manuel Clemente aos Diocesanos de Lisboa

Caríssimos Paroquianos,

Foi publicada, hoje, uma nova Carta do D. Manuel Clemente aos Diocesanos de Lisboa. Nesta Carta, que pode ser consultada no Site do Patriarcado: https://bit.ly/Carta_24mar, o Cardeal-Patriarca convida todas as famílias católicas à participação, através dos meios de comunicação disponíveis, nos momentos de oração na Solenidade da Anunciação do Senhor, nesta quarta-feira, dia 25 de março. Além de acompanhar as missas e outras celebrações, somos convidados também a nos unirmos ao Papa Francisco na Oração ecumênica do Pai Nosso, a ser rezado, em Roma, às 12h (11h em Portugal) e depois, em sintonia com os Bispos de Portugal, de Espanha e de outras dioceses estrangeiras a assistirmos a partir de Fátima, às 18h30, a recitação do Rosário e a Consagração aos Corações de Jesus e Maria.

Em Cristo Redentor,

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR

Damaia, 24 de março de 2020

*********************************

4º Domingo da Quaresma

Cura de um cegoLeituras para a reflexão familiar:

1Sm 16,1-13;

Sl 23;

Ef 5,8-14;

Jo 9,1-41

 

Alguns versículos do Evangelho para a reflexão no contexto atual:

Mestre, quem é que pecou para ele nascer assim? Ele ou os seus pais?”.

Isso não tem nada que ver com os pecados dele ou dos pais; mas aconteceu para se manifestarem nele as obras de Deus”.

Vai chegar a noite, em que ninguém pode trabalhar”.

Eu estou no mundo, sou a luz do mundo”.  

Jesus “fez com a saliva um pouco de lodo e ungiu os olhos do cego. Depois disse-lhe: Vai lavar-te à piscina de Siloé… Ele foi, lavou-se e ficou a ver”.

“Tu acreditas no Filho do homem? … Quem é, Senhor para que eu acredite n´Ele?... Já O viste: é quem está a falar contigo”.

“O homem prostrou-se diante de Jesus e exclamou: »Eu creio, Senhor«”.

Abra e leia tambem a reflexão para este domingo proposta pelo último número do Apelo do Redentor (bem ao lado).

Com a bênção, 

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR

Damaia 22 de Março de 2020

Foto: Internet

*******

A IGREJA VOLTOU A EXPERIMENTAR AS ORIGENS

Por: Diácono Paulo Veríssimo Gaspar

Familia cristãCaros amigos irmãos, que bom estar convosco!

Ao estarmos confinados às nossas casas, quisemos deixar os medos lá fora, mas mesmo assim eles vão entrando, ora pela televisão, ora pelos telefones moveis, ora pela internet.

Instalaram-se os medos e os receios. A comunicação alterou-se. O abraço ficou suspenso, o beijo adiado, o aperto de mão ficou dentro do bolso.

Este tempo vai naturalmente alterar a nossa forma de viver e de nos relacionarmos.

O que nunca nos passou pela cabeça, acontece. É um tempo de guerra. Quem diria que a igreja iria fechar?

Quem disse que a Igreja fechou? Que grande mentira!

Na última sexta-feira, na área da nossa paróquia, aconteceram mais vias-sacras, do que caberiam no nosso calendário paroquial.

No isolamento das nossa casas, a Igreja multiplica-se em reflexões diárias da Palavra, em terços meditados com a força sempre implorante da Igreja pelo mundo, em participação nas várias missas transmitidas pela televisão e pela internet, onde não posso deixar de verificar, a intensidade da comunhão espiritual.

Parecem tempos novos, e são-no de facto para nós!

Mas a Igreja voltou a experimentar as origens, a manifestação eclesial começou por ser doméstica, com Deus no meio do seu Povo.

Só aí se entende a caridade que é amor! E na partilha do amor se encontra o Espírito de Deus, que habita em nós, e que nasce para ser dado.

E a mesa da sala voltou a ser espaço de partilha familiar e espaço de partilha de Deus e com Deus.

A casa da Igreja fechou a porta, mas a Igreja não, apenas mudou de local.

Na casa de cada batizado, Cristo entra, conforta.

No silêncio do teu quarto, onde o Pai te escuta e te responde.

Na oração de cada família, onde dois ou três se reunirem em seu nome, Ele aí está.

O pai e a mãe, terão de voltar a abençoar os filhos em nome do Senhor, para que eles não fiquem privados das bênçãos de Deus. O pai e a mãe terão de estar disponíveis para receber a bênção de Deus, pela mão dos filhos, porque Deus só nos abençoa através dos irmãos.

E no centro da mesa de todos os dias, agora vive a Palavra de Deus. É aí que nasce a comunhão espiritual que nos poderá alimentar nestes tempos vidrados do avesso.

Sim, o Senhor também me surpreendeu, porque Ele está também no meio de vós.

Preparai a vossa morada, preparai nesta Quaresma o vosso “cenáculo”, para poderes escutar como os Apóstolos, o Cristo que vem e que nos diz:

“A paz esteja convosco”.

Foto: Internet

Damaia, 21 de março de 2020

 

********

PROPOSTA DE SETOR DE CATEQUESE NA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

Patriarcado Lisboa

Reverendo Senhor,

Com a suspensão dos encontros de catequese na situação de emergência que vivemos, julgamos ser importante que os catequistas mantenham a ligação com os seus grupos e famílias. Além das múltiplas propostas que vão surgindo, o Sector da Catequese de Lisboa propõe que os catequistas, dentro das suas possibilidades, possam utilizar as tecnologias de informação e comunicação disponíveis, tanto ao nível da dinamização ou criação de grupos de comunicação, como na organização de videoconferências em que possam participar as crianças e adolescentes, com o consentimento e participação das suas famílias. Sabemos que muitos já o fazem e pedimos que nos façam chegar as nossas boas práticas num sentido de pertença e de partilha comunitária. Podem enviar as vossas ideias, recursos, fotografias para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Aconselhamos, também, alguns recursos que podem ser consultados gratuitamente para utilização das famílias em casa. Sobretudo, apelamos à criatividade de todos, de modo a que os nossos catequizandos e famílias sintam a nossa proximidade fraterna.

  1. A CATEQUESE EM NOSSA CASA

Em parceria com a Agência Ecclesia, Secretariado Nacional de Educação Cristã e Sector da Catequese do Patriarcado de Lisboa, programa semanal na «Fé dos Homens», espaço da Igreja na RTP2, às quartas-feiras pelas 15h00, sobre cada uma das catequeses. Lançamento da iniciativa: https://agencia.ecclesia.pt/portal/catequese-isolamento-social-econvite-a-criatividade-e-revisao-de-vida/

Catequese 1 - Estamos juntos no mesmo barco (semana de 18 a 24 de março) Catequese 2 - Cultivar a relação com Deus e com os outros através da oração (semana de 25 a 31 de março)

Para consultar o esquema das catequeses: http://www.educris.com/v3/catequese/9218-catequese-em-nossa-casa-viver-este-tempo-emfamilia

  1. PLATAFORMAS DISPONÍVEIS PARA O CATEQUISTA CONTACTAR COM O SEU GRUPO:

- WatsApp: Mensagens de texto em grupo, enviar imagens, vídeos e documentos em PDF; https://www.whatsapp.com/

- Google Hangouts: Plataforma de comunicação que permite conversas em grupo, inclui mensagens instantâneas, chat de vídeo, SMS e VOIP; https://hangouts.google.com/

- Microsoft Teams: Plataforma de trabalho em grupo que permite criar equipas, conversar e partilhar conteúdos. https://teams.microsoft.com/downloads

- Skype: Plataforma de comunicação que permite chamadas de grupo, enviar mensagens, partilhar arquivos. https://www.skype.com/pt/

- Houseparty: Uma app, super intuitiva, que permite videochamadas com diversas pessoas ao mesmo tempo. https://houseparty.com/

- Zoom: Permite organizar videoconferências e reuniões. https://zoom.us/ 2. Outros aplicativos pedagógicos

- Edpuzzle: Permite lançar questões em vídeo (questões ou quizzes em Mp4). Muito útil para rever conteúdos abordados. https://edpuzzle.com/

- Kahoot: Plataforma de aprendizagem baseada em jogos. Permite fazer exercícios de escolha múltipla. https://kahoot.com/

  1. VIDEOTECA DIGITAL - APRENDE COM A BÍBLIA:

Vídeos com ensinamentos bíblicos http://www.educris.com/v3/tv/aprende-com-a-biblia/

- Episódios bíblicos: Vídeos com narrativas bíblicas http://www.educris.com/v3/tv/episodios-biblicos - Um minuto de santidade: vidas de santos http://www.educris.com/v3/tv/um-minuto-de-santidade

- As mais belas histórias da Bíblia para crianças: (Brasil) https://www.youtube.com/playlist?list=PLBwL-VeM4mgu0tMeFBnckCqBzYJULLEPw

- Cânticos do Despertar da fé: Cânticos em áudio para diversas circunstâncias. http://catequese.net/despertar-da-fe-/canticos

4. Biblioteca digital - Plano Nacional de Leitura: Livros em formato digital sobre diversas temáticas para cultura geral. http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/biblioteca/

Atentamente, P. Tiago Neto

 

Caros Catequistas e estimados Pais

O projeto que nos foi apresentado pelo Setor da Catequese é uma boa oportunidade para a reflexão familiar sobre os valores da vida, da família, sobre a importância da religião e da fé na vida das pessoas, sobre a vida eclesial / paroquial, e sobre os relacionamentos humanos e sociais, entre outros. Aproveitemos este tempo também para rezar em família e repensemos as nossas relações com Deus, com a Igreja, com a sociedade, com a natureza e com o mundo em geral. 

Um caloroso abraço para todos

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR 

Sábado, 21 de março de 2020

 

************

Comunicado

Caríssimos Paroquianos

Damaia CruzAcolhendo com respeito às exigências impostas pelo Estado de Emergência, permaneceremos em nossas casas em atitude de oração e de súplica, como nos pedem também os nosso Bispos. A nossa igreja permanecerá fechada até outra determinação. Enquanto isso, acolhamos com fé as palavras do Senhor que diz:

Entra no quarto e, fechada a porta, reza em segredo a teu Pai, pois Ele, que vê no oculto, há de recompensar-te (Mt 6,6).

Caríssimos Paroquianos, temos certeza que depois desta quarentena quaresmal, ausentes da igreja, mas não separados de Deus, em breve, poderemos cantar com o Salmista:

“Que alegria, quando me disseram: Vamos para a casa do Senhor! Os nossos pés detêm-se à tuas portas, ó Jerusalém” (Sl 121,1-2).

Nossa Senhora do Rosário de Fátima, rogai por nós!

São José, rogai por nós! Todos os Santos e Santas de Deus, rogai por nós!

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR – O Pároco

20 de Março de 2020

********

O PAPA FRANCISCO CONVOCA TERÇO PARA PROTEGER NOSSAS FAMÍLIAS

Papa Terço

Todas as famílias e comunidades religiosas, todos os fiéis são convidados a rezar os Mistérios Luminosos

No final da audiência geral de 18 de março, o Papa Francisco disse que está se juntando à iniciativa promovida pelos bispos italianos para rezar os Mistérios Luminosos do Terço às 21h neste dia 19 de março, festividade de São José. O horário das 21h na Itália corresponde a 17h no Brasil e 20h em Portugal. Mas quem só puder rezar às 21h de seu horário local, também une-se à grande corrente. A iniciativa está ganhando força em todo o mundo, criando uma rede de oração.

Toda família, todo grupo de fiéis, toda comunidade religiosa: todos nós nos unimos espiritualmente amanhã (quinta-feira) às 21 horas na oração do Terço, os Mistérios Luminosos. Maria – Mãe de Deus e Saúde dos Enfermos, a quem dirigimos o Rosário, sob o olhar amoroso de São José, Protetor da Sagrada Família e de nossas famílias – conduza-nos ao rosto luminoso e transfigurado de Cristo e a seu Coração. E pedimos que ele proteja especialmente nossas famílias, em particular os doentes e aqueles que cuidam deles: médicos, enfermeiras e voluntários, que arriscam suas vidas neste serviço.

O Papa também falou sobre São José:

Na vida, no trabalho, na família, na alegria e na tristeza, ele sempre buscou e amou o Senhor, merecendo o louvor que as Escrituras lhe dão: um homem justo e sábio. Invoque-o sempre, especialmente em tempos difíceis, e confie sua vida a este grande santo.

Redação da Aleteiahttps://pt.aleteia.org/ | Mar 18, 2020

Caríssimos paroquianos. O convite está feito. Nós, os padres e o Frater Alisson vamos rezar este Terço em sintonia com o Papa Francisco e com as familias da nossa paróquia, aqui na igreja paroquial, diante da imagem de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, onde todos os dias, o nosso povo costuma rezar. Faça parte desta grande corrente de oração e de fé

Cordialmente,

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR 

**********

SÃO JOSÉ, ROGAI POR NÓS!

19 de março de 2020

S Jose “Este é o servo fiel e prudente, que o Senhor pôs à frente da sua família” (cf. Lc 12,42)

Neste ano, que certamente ficará gravado na memória do povo e nas cartas da história do século XXI, a solenidade de São José, que a Igreja celebra hoje, passa a ser celebrada basicamente no contexto das famílias.  Aproveitemos esta oportunidade para rezar mais pelos nossos pais, pelas nossas famílias, pela Igreja e pela superação da pandemia da Coronavírus. 

São José é também o padroeiro da boa morte, por isso, rezemos pela sua intercessão por todas as vítimas do Coronavírus. Rezemos também pela nossa paroquiana, D. Josefina, falecida ontem à noite. Que o Senhor conceda a todos os falecidos o descanso eterno.

 

Ó São José, cuja proteção é tão grande, tão forte e tão imediata diante do trono de Deus, a vós confio todas as minhas intenções e desejos.

Ajudai-me, São José, com a vossa poderosa intercessão, a obter todas as bênçãos espirituais por intercessão do vosso Filho adotivo, Jesus Cristo Nosso Senhor, de modo que, ao confiar-me, aqui na terra, ao vosso poder celestial, Vos tribute o meu agradecimento e homenagem.

Ó São José, eu nunca me canso de contemplar-Vos com Jesus adormecido nos vossos braços. Não ouso aproximar-me enquanto Ele repousa junto do vosso coração. Abraçai-O em meu nome, beijai por mim o seu delicado rosto e pedi-Lhe que me devolva esse beijo quando eu exalar o meu último suspiro.

São José, padroeiro das almas que partem, rogai por mim! Amém.

(Fonte: https://pt.aleteia.org/)

Que a bênção do Senhor desça copiosamente sobre todas as famílias pela intercessão do glorioso São José, Esposo da Virgem Santa Maria.

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR

************

O SENHOR ESTÁ PERTO DE NÓS (Deut 4,5)

18 de março de 2020

NSPSA leitura do capítulo quatro do Livro do Deuteronómio proposta para a liturgia deste dia tem muito a nos ensinar neste amargo tempo da quarentena provocada pelo Coronavírus. Ouvindo os noticiários dá para ficar realmente atormentado, com medo e até entrar em pânico. E é justamente isto que este vírus espera, como dizem os especialistas. O medo, o estresse, o pânico baixam as nossas defesas naturais e enfraquecem as células defensoras do nosso sistema imunológico. Portanto é preciso superar estes estados, que são próprios do espírito.

A Palavra de Deus vem hoje confortar-nos mais uma vez. Diante da realidade que enfrentamos a Palavra do Senhor vem nos lembrar que o Senhor, nosso Deus, está perto de nós, sempre que o invocamos. É a palavra de consolo e, ao mesmo tempo, um convite. O consolo, porque o próprio Senhor garante pela verdade da sua Palavra, que Ele está perto de nós. Ele não nos abandona. Ele não esquece do seu povo. E o convite, porque a Palavra de Deus mais uma vez nos convoca a uma oração mais fervorosa e mais confiante. Ela nos convida a invocá-Lo sempre, especialmente neste tempo da invasão virótica. A certeza da presença do Senhor e a oração forte e cheia de fé são um poderoso antídoto também contra o Coronavírus.

Hoje, nesta 4ª feira, peçamos que a Mãe do Perpétuo Socorro interceda pelo mundo junto do seu amado Filho.  

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR

**************************

“TENDE CONFIANÇA: EU JÁ VENCI O MUNDO” (Jo 16,33).  

17 de Março de 2020

Cirio4

 Como são atuais, hoje, as palavras de Azarias cantadas na fornalha ardente: “…não temos holocausto nem sacrifício, nem oblação nem incenso, nem lugar onde apresentar-Vos as primícias para alcançar misericórdia. Mas de coração arrependido e espírito humilhado sejamos por Vós recebidos como se viéssemos com um holocausto de touros e carneiros e milhares de gordos cordeiros. Seja hoje este sacrifício agradável na vossa presença, porque jamais serão confundidos aqueles que em Vós esperam (Dn 3,38-40).

Que esta oração de confiança na presença de Deus que nos conduz no meio das adversidades torne-se também a sua oração no seio da sua família. São tantas formas de orações que podemos elevar a Deus. Reze também o Terço, como pediu com insistência a Virgem do Rosário de Fátima. Não deixemos, - escreve o Papa Francisco, na Evangelii gaudium - , que nos roubem a esperança. E o sinal desta esperança é o Círio que arde aceso em nossa Igreja. O Cristo Ressuscitado é a Luz que ilumina o mundo envolto em trevas, no medo e no desânimo. Não percamos a esperança, porque Jesus nos consola dizendo: “No mundo tereis tribulações; mas tende confiança: Eu já venci o mundo(Jo 16,33).

Em Cristo Redentor, 

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR - O Pároco

 

*****************************

A oração do Papa pelo fim da pandemia.

Papa Roma Mar 2020

O Papa Francisco esteve na Basílica de Santa Maria Maior, local onde costuma rezar antes e depois de cada viagem internacional, para pedir a intercessão da Virgem Maria, e na igreja de São Marcelo al Corso, onde se venera um crucifixo considerado milagroso que, segundo a tradição popular, pôs fim à peste de 1522.

Fonte: https://webmail.amen.pt/appsuite/#!!&app=io.ox/mail&folder=default0/INBOX&language=pt_BR&user_id=6

*******

Comunicações Paroquiais

14 de março de 2020

Caríssimos Paroquianos,

Em consonância com as indicações do Governo, das autoridades de saúde, da Conferência Episcopal Portuguesa e do Patriarcado de Lisboa, a Comissão Permanente do Conselho Pastoral Paroquial vem confirmar a suspensão de todas as atividades e celebrações comunitárias da Paróquia do Santíssimo Redentor, como reuniões pastorais, Catequese, atividades de Escuteiros, Vias-Sacras, Terço comunitário, inclusive as celebrações das Missas e todas as atividades desenvolvidas no Centro Paroquial.

Queremos comunicar também que as intenções encomendadas serão celebradas pelos padres no dia indicado, contudo, sem a participação dos fiéis. Quem, porém, desejar remarcar a missa para outra data, faça isto, por favor, na secretaria da Paróquia.

As celebrações de Exéquias serão presididas pelos Padres ou pelos Diáconos.

Estas medidas, como sugere o Comunicado do Patriarcado de Lisboa devem ser complementadas com as possíveis ofertas celebrativas na televisão, rádio e internet. Aproveitemos também esta quarentena para permanecer em oração pessoal e familiar, biblicamente alimentada, confiados na graça divina e na boa vontade de todos.

Os serviços da Secretaria Paroquial mantêm-se em funcionamento, somente à tarde, das 16h30 às 19h30.

Contudo, a nossa igreja permanecerá aberta para a oração individual, como de costume, na parte da manhã das 08h30 às 12h e à tarde, das 16h30 às 19h30. Aproveitemos este tempo de Quaresma, vivido de uma maneira que não esperávamos, para pedir que Deus tenha misericórdia de nós e nos livre do flagelo deste vírus. Superada esta etapa, esperamos celebrar com maior alegria a Ressurreição do Senhor.

Em Cristo Redentor,

Pe. Cristóvão Dworak, CSsR – O Pároco

Damaia, 14 de março de 2020

YouTube

Apelo do Redentor

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30